Banner
Segunda, 25 de Setembro de 2017 - 13:07
Jornalista Resp.: Cezar Miranda - Diretor: Karlos Bernado - Telefone: (67) 9677-0757
UNIVERSIDAD CENTRAL DEL PARAGUAY

Notícias


Prefeituras do PSDB são maioriacom alta no índice do ICMS

Data da publicação: 15/07/2017 à00 11:00


Segudo a Sefaz, o VAF – diferença entre entrada e saída de vendas – compõe 75% do índice - Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado

Mais da metade das prefeituras de Mato Grosso do Sul que terão reforço de caixa em 2018, por causa do aumento no porcentual de rateio do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), são comandadas pelo PSDB, mesmo partido do governador do Estado, Reinaldo Azambuja.

É o que aponta comparativo realizado pelo Correio do Estado entre o número de municípios que tiveram o índice reajustado em relação a 2017 e as siglas das respectivas prefeituras.

No cômputo geral, o número de localidades que apresentaram alta na participação do ICMS cresceu 33%, passando de 39 para 52 prefeituras.

Deste total, 56% (o equivalente a 29 administrações municipais) têm gestores peessedebistas. São sete a mais (aumento de 26%) em relação a este ano.

De 2016 para 2017, 23 prefeituras comandadas pelo partido tucano já haviam registrado alta no índice de participação no ICMS, segundo reportagem divulgada pelo Correio do Estado em 13 de março deste ano.

Ainda segundo o levantamento feito pela reportagem, a legenda comanda 36 prefeituras ao todo no Estado. Destas, 80,5% tiveram aumento no índice de participação do ICMS em comparação ao ano passado.

Das cinco cidades consideradas polos no Estado, três cidades, todas sob comando de prefeitos do PSDB, tiveram aumento de repasse. São elas: Três Lagoas (+8,18%, passando de 7,2731 para 7,8677), Corumbá (+4,12%, de 8,6135 para 8,9682) e Ponta Porã (+1,02%,de 2,7746 para 2,8029).

Em nota divulgada na sexta-feira, a Secretaria de Fazenda (Sefaz) informou que o Índice de Participação dos Municípios (IPM) provisório com o porcentual no rateio para os 79 municípios é publicado anualmente no Diário Oficial do Estado, e as prefeituras podem apresentar recursos, caso haja discordância.

 Fonte:Assessoria.
 

Busca
Último evento
Entrevistas