Banner
Segunda, 25 de Setembro de 2017 - 13:06
Jornalista Resp.: Cezar Miranda - Diretor: Karlos Bernado - Telefone: (67) 9677-0757
UCP 2018

Notícias


Ex-jogador de futebol está entre os sete douradenses presos por tráfico em Goiás

Data da publicação: 15/07/2017 à00 11:32


Douradenses foram presos com maconha - Foto: Divulgação/PC

Sete douradenses foram presos pela Polícia Civil de Goiás na noite de quinta-feira (13) com 700 quilos de maconha. A suspeita é que todos sejam membros de organização criminosa que atua no tráfico interestadual de entorpecentes.

O flagrante ocorreu no Jardim Europa, em Goiânia (GO) e entre os envolvidos está o ex-jogador de futebol Abel Reginaldo da Silva Martins, 39, o Abelzinho, com passagem pelo Operário de Dourados e outras equipes amadoras.

De acordo com o Dia Online, o grupo estava num hotel no Setor Rodoviário e além de Abel, Joelson Lima Santos, 46, apontado como líder da organização, Marcelo da Silva Nascimento, 32, Jaisson Oliveira Souza, 20, Anderson Nunes Vestena, 32, Gustavo da Silva Pereira, 20 e Paulo Ratier Pereira, 41, acabaram detidos.

O grupo saiu de Dourados e viajou até Goiânia (GO).

Ainda conforme o jornal da Capital goiana, eles estavam sendo investigados já há quatro meses com colaboração da Polícia Civil de Alagoas.

Para iniciar as investigações os policiais alagoanos revelaram que um grupo criminoso sediado em Mato Grosso do Sul, na cidade de Dourados, distribuía a uma organização goiana grandes quantidades de maconha. A droga era distribuída na capital e região metropolitana e ainda enviada para estados do nordeste, em especial Sergipe e Alagoas.

Com a prisão de um traficante alagoano, a polícia civil conseguiu identificar os envolvidos goianos, bem como os fornecedores de drogas sul-matogrossenses, que, além de venderem a droga, a transportavam até os traficantes goianos.

Assim que chegaram em Goiânia, os traficantes de Mato Grosso do Sul deixaram o carro com uma grande quantidade de maconha em uma residência no Jardim Europa e foram para o hotel no setor Rodoviário, com o objetivo de voltarem para o outro estado novamente após descansarem.

Se condenados, os presos podem pegar até quinze anos por tráfico de drogas, com a possibilidade de aumento de até dois terços da pena por se tratar de tráfico interestadual, além de dez anos por associação para o tráfico, com a mesma hipótese de aumento.

Fonte:Assessoria.
 
 
 

Busca
Último evento
Entrevistas