Banner
Quarta, 20 de Fevereiro de 2019 - 23:50
Jornalista Resp.: Cezar Miranda - Diretor: Karlos Bernado - Telefone: (67) 9677-0757

Notícias


PF admite chance de delação premiada sobre tragédia da Vale

Data da publicação: 08/02/2019 à00 09:28


Em uma projeção otimista, o delegado Luiz Augusto acredita que a investigação pode ser concluída em dois meses. O inquérito apura crimes ambientais, homicídio, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Um das suspeitas é que justamente o atestado assinado por Namba seja forjado. — A Vale utilizou esse documento para obter as autorizações e licenças necessárias para o funcionamento da barragem e de todo aquele complexo entorno. No entanto, existem algumas recomendações no próprio documento que declarou a estabilidade da barragem, que deveriam ser adotadas pela Vale, para aí sim considerar aquela barragem estável. Ao R7, o advogado de Namba, Augusto Arruda Botelho, refutou que seu cliente pode fechar um acordo de colaboração. — Não existe a menor possibilidade de delação. Para delatar ele teria que confessar algum crime e ele não cometeu crime algum. Em uma projeção otimista, o delegado Luiz Augusto acredita que a investigação pode ser concluída em dois meses. O inquérito apura crimes ambientais, homicídio, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Um das suspeitas é que justamente o atestado assinado por Namba seja forjado. — A Vale utilizou esse documento para obter as autorizações e licenças necessárias para o funcionamento da barragem e de todo aquele complexo entorno. No entanto, existem algumas recomendações no próprio documento que declarou a estabilidade da barragem, que deveriam ser adotadas pela Vale, para aí sim considerar aquela barragem estável. Ao R7, o advogado de Namba, Augusto Arruda Botelho, refutou que seu cliente pode fechar um acordo de colaboração. — Não existe a menor possibilidade de delação. Para delatar ele teria que confessar algum crime e ele não cometeu crime algum. Fonte:Assessoria

Busca
Vídeos
Último evento
Entrevistas